Tag

planejamento Archives - 4U Intercâmbio

Uma nova jornada by Thassia

By Irlanda, Comportamento, Vida de Intercambista

Hoje é o inicio de uma nova jornada para mim, Thassia Silva, mineira de alma e carioca de coração. Mas do que se trata essa jornada? Nada menos do que mudar de país. Seja por um determinado tempo, ou para sempre. E mudar de país não é fácil, nem para mim e aposto que nem para você, na verdade é bem mais difícil do que parece ser. Uma mistura de sentimento, um mix do incerto e do certo, da realização de um sonho e do INESPERADO.

Para começar, eu recebi o convite da agência 4U Study para compartilhar com vocês um pouco da minha trajetória que começa hoje rumo a Irlanda, então preparem-se para ver o intercâmbio sob o meu olhar, uma intercambista, mulher, que viaja sozinha, mas cheia de vontades. Você vai me encontrar também nas redes sociais da agência, como o Instagram e o Facebook!

A jornada começou, mas como me sinto?

Não é fácil criar coragem e desfazer as amarras. É fácil fazer as malas, comprar uma passagem e seguir o seu destino rumo a um outro país. Difícil é aceitar a nova realidade durante esse tempo, aceitar o fato de que você não pertence ao local em que viveu a maior parte da sua vida.

Porque ao partir é preciso estar preparado para se reconstruir, para aceitar que é chegado o “agora ou nunca”, a hora de se encontrar, se conhecer e definir quem você quer ser, mesmo já sendo bem crescido e evoluído. É preciso ter coragem para se desfazer das frescuras, de alguns hábitos, criar asas fortes que te ajudem a dar um dos voos mais importantes da sua vida. É preciso se desfazer de preconceitos e aprender de uma vez por todas o significado do respeito.

Mudar de país é, quase sempre, fugir de alguns problemas, e então, se ver cercado por mil outros.

É viver numa montanha-russa quando se tem medo de altura. Os primeiros meses, acredito eu, trazem a mesma sensação da subida do avião, olhando na janelinha e pensando alto, bem alto: empolgação, felicidade, orgulho de estar indo realizar o tal esperado sonho. E então, a gente acorda certo dia e percebe que reconstruir a vida não é tão lindo quanto parecia, é difícil, desgastante, cansativo. Mas a gente está lá no topo; o investimento foi caro, os seus amigos, a sua família, todo mundo que não veio está te observando de longe. Não dá para desligar a máquina, você não tem coragem de pedir para descer. Você sorri e esconde o desespero. Fecha os olhos e vai.

Com medo e sem saber se vai dar certo

Alguns desistem após a primeira descida. Outros se acostumam com a adrenalina e resolvem continuar. Porque nada melhor do que descobrir que você é capaz. Morar fora não é reconhecer os seus limites, é esticá-los um pouquinho mais, dia após dia. É descobrir que você pode ir muito além. É ralar para ser reconhecido onde você é apenas mais um e reconhecer que ser apenas mais um pode ser muito para quem chegou a ser ninguém.

Morar fora é dar luz a um novo “eu” , é ser mãe e pai de sí próprio. É sofrer para se criar sozinho e ter orgulho do adulto que você recriou. É aceitar que você jamais será o mesmo se um dia decidir voltar pra sua terra.

Dia 08/06/2018, finalmente estou iniciando essa montanha russa, minha jornada, com apenas uma certeza: que estou realizando o meu sonho, e que venham inúmeras montanhas russas e agora, você embarca comigo.

3 anos de intercâmbio

By Vida de Intercambista

3 anos.

Hoje, 25/04/2018, foi o dia em que há 3 anos eu entrei naquele avião com o coração leve. Eu não estava nervosa, nem triste, nem sorrindo tanto assim; fiz as malas no dia de embarcar. Ao sair de casa, me recordo o quanto chorei ao me despedir da minha avó, mas no caminho até o aeroporto com o meu tio e minha prima as lágrimas deram lugar à serenidade. A serenidade no olhar de quem mudaria a sua vida para sempre.

Lembro das palavras do meu tio que diziam, “você vai encontrar uma grande porta na Irlanda”, e eu jamais imaginava que esse ano sabático na realidade seriam 3 anos, quem sabe quantos mais estão por vir?

Se eu puder resumir esses 3 anos em um verbo, eu diria, encontrar. Encontro com uma nova cultura, língua, clima, pessoas. Encontro com novos desafios, imagens, cheiros e sabores. Encontro principalmente comigo mesma. Já diria Vinicius de Morais “a vida é a arte do encontro…”

 

A ficha enfim caiu.
A ficha do intercâmbio só caiu, quando cheguei na acomodação temporária, deitei naquela cama, olhei para o teto e pensei;É Amanda, começou. Para a minha felicidade, fiz uma amizade muito importante que esteve comigo quase todos os dias desse primeiro ano e graças a ela no dia seguinte consegui ir à escola, estudaríamos na mesma escola, dividiríamos a mesma casa, os mesmos choros e risos. Obrigada a minha para sempre girlfriend (apelido carinhoso gente, hahaha).

Pausa,
Na próxima carta voltamos a programação normal sobre o embarque, prometo!

E nesses 3 anos o que mais senti e sinto é o quanto estou fazendo a coisa certa. Sempre repetirei o quanto o intercâmbio foi um divisor de águas na minha vida e o quanto é uma Amanda antes e depois dessa experiência.

Quando você mora em outro país, você aprende a ser uma pessoa mais flexível, você dá mais valor a pequenas coisas, você aprende a conversar mais com você, você passa a ser o seu melhor amigo. Você vive momentos que você nunca viveria se não estivesse saído do lugar que estava. Sim, você deixará de viver coisas do lugar que veio, você se sentirá sozinho e meio perdido, mas acredite a sua experiência de vida será tão intensa que valerá perder momentos para ganhar outros.

Com o tempo você aprende a se perdoar por não estar no lugar de onde veio, cada escolha é uma renúncia, desde que a escolha valha à pena e sim está valendo muito. A cada dia que você aprende uma nova palavra em outra língua, cada expressão que passa a ser cotidiana, é uma vitória.

Quando você começa a receber mais sim do que não, quando começa a se sentir parte de algo novamente é aí que o intercâmbio faz sentindo. Quando você vê que os seus esforços estão sendo recompensados é uma das melhores sensações, você se sente vivo, independente, maduro e capaz de fazer o que quiser. Cada conquista é com muito suor e com gosto de quero mais e pode ter certeza que as conquistas virão na hora certa.

Ah você será uma pessoa mais grata também, o agradecimento passa a ser parte da rotina.
Lembro do dia em que ganhei o meu primeiro salário aqui na Irlanda. Foi junto com outra girlfriend lavando um chão de banheiro com uma buchinha de lavar louça, na hora veio um filme na minha cabeça e a grande pergunta, o que eu estou fazendo aqui?

Confesso que foi uma das piores sensações da minha vida, mas assim que eu peguei aquele dinheiro, eu entendi o que eu estava fazendo, eu estava crescendo, amadurecendo. Qualquer coisa que eu fizesse eu faria bem feito, que qualquer trabalho que eu tivesse seria um aprendizado, era exatamente o que eu vim buscar aqui, coisas novas, a saída da minha zona de conforto. Esse dia foi libertador, pré-conceitos que eu tinha começavam a sumir e principalmente passei a dar mais valor ao trabalho das pessoas.

Nos demais trabalhos que eu tive conheci pessoas maravilhosas que reconheceram o meu empenho e força de vontade. Isso me fez enxergar mais ainda o quanto qualquer coisa que você fizer com dedicação e carinho te abrirá grandes portas. Hoje tenho a oportunidade de escrever aqui para você e tudo isso foi construído com tudo que aprendi e continuo aprendendo. A grande porta que o meu tio me disse, está sendo somente o começo.

Agradeço a cada pessoa que cruzou o meu caminho nessa jornada. Obrigada aos amigos que ficarão para sempre, aos que vieram por pouco tempo, aos que me ensinaram preciosas lições. Aos amigos que me deram oportunidades. A você que aprendeu o verbo to be comigo, a você que mesmo do outro lado nunca desistiu e continua a confiar em mim. Aos que mesmo longe continuam em minha vida seja por um pensamento positivo ou por sangue. Obrigada aos que dividiram o seu tempo e palavras. Guardo vocês em minhas lembranças e em lugares especiais.

No intercâmbio você aprende a ter a mente mais aberta para que o realmente importa. Quer mudar a sua vida? Faça um intercâmbio.

Assinado: E que a vida me mostre a próxima aventura!