Tag

motivação Archives - 4U Intercâmbio

5 motivos para fazer intercâmbio em 2019

By Comportamento, Vida de Intercambista

Sabemos que no fundo ninguém precisa de motivos para viajar, principalmente se estivermos falando daquelas férias tão desejadas, mas quando falamos de intercâmbio a historia muda, afinal estamos falando de quase 1 ano fora, ou mais, sem contar tudo o que deixamos para trás, por isso intitulamos aqui os 5 motivos para você fazer intercâmbio em 2019 e não se arrepender.

 

Estou cansado da minha rotina / emprego

Passaram-se anos e de repente você se olha no espelho e percebe que esta no mesmo lugar, uma empresa que não te motiva ou uma rotina cansativa, casa – trabalho – academia – casa – trabalho… pode ser que essa rotina seja ótima para muita gente, mas para você não. Sair da sua zona de conforto pode ser libertador.

 

Sempre quis conhecer o Mundo / uma nova cultura

Sonhos são sonhos, não devemos simplesmente deixa-los de lado pois achamos muito difícil, muito caro, sou muito velho, muito novo. Pare de perder oportunidades e comece a conhecer as paisagens dos filmes e livros favoritos. Além de enriquecer sua alma com ótimas histórias você pode se transformar em uma pessoa totalmente nova.

 

Quero um ano sabático

E porque não? Anos trabalhando, estudando, nos dedicando a tudo e todos, menos a nós mesmos, permita-se viver a vida que sempre quis, descanse, não pense em nada e prepara-se (financeiramente e mentalmente) para um novo “você”. Aproveite esse período para descobrir novas paixões, hobbies, aprender uma nova língua e dar aquele UP na sua carreira também.

 

Estou em dúvida se caso ou compro uma bicicleta

Se você ainda tem dúvidas sobre qual caminho seguir, seja no amor ou na área profissional considere viver uma experiência nova longe de tudo isso. Uma viagem pode fazer com que você pense com mais clareza nas suas próximas decisões e ainda te proporcionar uma mudança radical (que muitas vezes precisamos). Já pensou em antes mesmo de casar fazer um intercâmbio a dois? Seria um teste e tanto para vocês dois. Repense 😉

 

Sofri uma grande perda, preciso de mudanças

Toda perda trás uma dor, um sentimento de solidão e muitas vezes nos vemos perdidos, sem muitas opções. Você pode ter pedido alguém da família, um emprego que era importante, ou terminou um namoro, não importa o que foi, o que importa é que as vezes precisamos de “novos ares” e, mais uma vez, fazer uma viagem, um intercâmbio, pode ser a resposta para curar tua ferida. Lembre-se que não estamos pedindo para fugir dos seus problemas, mas sim se afastar para conseguir enxergar tudo por outro ângulo.

 

Existem diversos outros motivos (ou desculpas) para percorrer o mundo, encontre o seu, afinal muitas vezes nem de motivos precisamos, não é mesmo? Você pode conversar com um dos nossos consultores agora mesmo e entender o porque eles também tomaram essa decisão, CLIQUE AQUI e have a nice trip.

Sentir

By Comportamento, Vida de IntercambistaNo Comments

Eu posso definir esse passo que estou dando com a palavra “sentir”.
Mas Mari? Sentir?

Eu decidi ir embora, porque já não sentia o meu coração acelerar, não sentia frio na barriga.

O que me move são os sonhos. Sonhei e lutei para ser uma publicitária. Realizei!
Sonhei que iria trabalhar em uma grande agência de publicidade, eu trabalhei muito, e realizei.
No final do ano passado, no mês de outubro, eu comecei a pensar sobre qual seria meu próximo sonho. Meus sonhos, são metas. O meu emprego já não era tão bom. Meu diploma de publicitária, não me bastava também, eu literalmente não queria mais. Eu queria muito MAIS.
Em novembro eu fechei meu intercâmbio e desde então, não tenho dúvidas que essa foi a melhor decisão da minha vida. Muitas coisas não saíram como eu planejei, saíram melhores, Deus cuida dos meus sonhos direitinho. E cá estou eu, na véspera do embarque, emotiva, sentindo, feliz. Mas, chorando.

Chorando? Sim minha gente!

Eu sinto, é bom SENTIR MUITO! Já to sentindo frio na barriga, saudade , um medinho que dói o estômago. O sentir mostra que estamos saindo da zona de conforto, que estamos criando asas e dando vida aos nossos sonhos.

E se posso dar uma dica,

Sinta,
Sonhe,
Trace metas,
Realize e
Desencana que a vida engana!
E como digo e repito p/ mim.
Desencana Mariana!

Beijos,
Mariana,

A mais nova intercambista 4U Study e moradora de Cork, na Irlanda

Uma nova jornada by Thassia

By Comportamento, Irlanda, Vida de Intercambista

Hoje é o inicio de uma nova jornada para mim, Thassia Silva, mineira de alma e carioca de coração. Mas do que se trata essa jornada? Nada menos do que mudar de país. Seja por um determinado tempo, ou para sempre. E mudar de país não é fácil, nem para mim e aposto que nem para você, na verdade é bem mais difícil do que parece ser. Uma mistura de sentimento, um mix do incerto e do certo, da realização de um sonho e do INESPERADO.

Para começar, eu recebi o convite da agência 4U Study para compartilhar com vocês um pouco da minha trajetória que começa hoje rumo a Irlanda, então preparem-se para ver o intercâmbio sob o meu olhar, uma intercambista, mulher, que viaja sozinha, mas cheia de vontades. Você vai me encontrar também nas redes sociais da agência, como o Instagram e o Facebook!

A jornada começou, mas como me sinto?

Não é fácil criar coragem e desfazer as amarras. É fácil fazer as malas, comprar uma passagem e seguir o seu destino rumo a um outro país. Difícil é aceitar a nova realidade durante esse tempo, aceitar o fato de que você não pertence ao local em que viveu a maior parte da sua vida.

Porque ao partir é preciso estar preparado para se reconstruir, para aceitar que é chegado o “agora ou nunca”, a hora de se encontrar, se conhecer e definir quem você quer ser, mesmo já sendo bem crescido e evoluído. É preciso ter coragem para se desfazer das frescuras, de alguns hábitos, criar asas fortes que te ajudem a dar um dos voos mais importantes da sua vida. É preciso se desfazer de preconceitos e aprender de uma vez por todas o significado do respeito.

Mudar de país é, quase sempre, fugir de alguns problemas, e então, se ver cercado por mil outros.

É viver numa montanha-russa quando se tem medo de altura. Os primeiros meses, acredito eu, trazem a mesma sensação da subida do avião, olhando na janelinha e pensando alto, bem alto: empolgação, felicidade, orgulho de estar indo realizar o tal esperado sonho. E então, a gente acorda certo dia e percebe que reconstruir a vida não é tão lindo quanto parecia, é difícil, desgastante, cansativo. Mas a gente está lá no topo; o investimento foi caro, os seus amigos, a sua família, todo mundo que não veio está te observando de longe. Não dá para desligar a máquina, você não tem coragem de pedir para descer. Você sorri e esconde o desespero. Fecha os olhos e vai.

Com medo e sem saber se vai dar certo

Alguns desistem após a primeira descida. Outros se acostumam com a adrenalina e resolvem continuar. Porque nada melhor do que descobrir que você é capaz. Morar fora não é reconhecer os seus limites, é esticá-los um pouquinho mais, dia após dia. É descobrir que você pode ir muito além. É ralar para ser reconhecido onde você é apenas mais um e reconhecer que ser apenas mais um pode ser muito para quem chegou a ser ninguém.

Morar fora é dar luz a um novo “eu” , é ser mãe e pai de sí próprio. É sofrer para se criar sozinho e ter orgulho do adulto que você recriou. É aceitar que você jamais será o mesmo se um dia decidir voltar pra sua terra.

Dia 08/06/2018, finalmente estou iniciando essa montanha russa, minha jornada, com apenas uma certeza: que estou realizando o meu sonho, e que venham inúmeras montanhas russas e agora, você embarca comigo.

Finalmente uma intercambista

By Featured, Vida de Intercambista

Começou o intercâmbio, minha rotina mudou bastante e se resumia em: ir para a escola com a Aline, procurar a acomodação definitiva de preferência com a Aline também, ir no mercado comprar comida, continuar procurando a acomodação definitiva, procurar uma casa, procurar um teto, procurar uma cama. É gente, o primeiro desafio do intercâmbio é achar o lugar que você viverá, por enquanto nada de cerveja, nem baladinha, nem umas paqueras para praticar a língua e começar a imersão cultural (atendendo a pedidos vou escrever sobre isso. Alerta! Não esperem encontrar aqui na Irlanda um Christian Grey, quem assim como eu pensou que iria encontrar um como ele não tem, já rodei tudo isso aqui haha) o foco era encontrar o meu novo lar, assim como todas as pessoas que chegam aqui.

Achamos acomodação, hora de beber!!!

A espera foi de apenas 3 dias para encontrar a acomodação definitiva, um apartamento com um quarto para dividir entre 4 pessoas com duas 2 beliches, sala ampla, cozinha pequena e um banheiro. Consegui encontrar uma vaga com a Aline e esse dia foi uma grande alegria, já dava para começar a pensar na cerveja Guinness que eu ainda não tinha tomado.

O que foi determinante para encontrarmos rápido a acomodação, foi que estávamos em vários grupos no Facebook recebendo alertas no celular, nos sites de acomodação, fazendo contatos e novas amizades aqui em Dublin, com a mente aberta de que não teríamos o mesmo conforto que tínhamos em nossas casas e claro, simpatia e sorriso no rosto sempre. A época do ano que viemos também foi ótima, pois não era alta temporada. Enquanto não achávamos acomodação continuamos procurando, a nossa determinação foi fundamental para conseguirmos encontrar o nosso lugarzinho. Por isso, a dica aqui é, venha com o mesmo pensamento e foco. Costumo sempre dizer que não conheço ninguém que não tenha encontrado casa e trabalho no intercâmbio que realmente procurou e se empenhou em encontrar. E nesse mesmo apartamento na conhecida Dublin 8 conhecemos a Andressa, uma querida que o destino nos trouxe para dividir o apartamento e intercâmbio com a gente. Eu a Andressa também temos boas histórias, aguardem.

Sobre a escola e as aulas

Quero dividir com vocês essa foto dos meus primeiros colegas de sala, chamamos aqui de “classmates” e, o meu primeiro professor. Como estudei em muitas turmas em diferentes níveis de inglês, em 3 escolas diferentes, tive vários colegas de salas e alguns deles ainda mantemos contato, mas essa turma foi muito especial para mim e tenho certeza que para eles também. (Éramos 13 brasileiros e 1 mexicano e esse mexicano era uma das nossas alegrias, infelizmente não esta mais entre nós, onde você estiver Edisinho esse lugar terá muita alegria e risadas). Mesmo sendo 13 brasileiros na mesma sala de aula, o pessoal era muito focado, todos ali queriam mesmo aprender a língua, se esforçavam, se empenhavam e todos de sua maneira conseguiram. Gostaria de dizer o quanto sou grata pela ajuda de cada um de vocês, espero que todos estejam bem e felizes. Essa foi a turma mais especial que estudei, a cada dia, cada nova frase, palavras em inglês era uma vitória para nós. Vocês foram uma das melhores partes do meu intercâmbio e sinto saudades.

E o que a oficialmente intercambista estava sentindo?

Eu estava me sentindo aliviada por ter encontrado uma casa, por ter iniciado uma rotina mais calma, por ter feito novas amizades. Todas as partes mais burocráticas que envolviam abrir conta bancária, documentação com a imigração também estavam sendo encaminhadas e claro, eu estava me sentindo muito feliz pelas escolhas que eu tinha feito, como por exemplo a escola que era muito boa, ter vindo para Dublin que é uma cidade muito legal com um céu azul maravilhoso na primavera que até hoje me inspira. Eu só tinha boas notícias para compartilhar com meu amigos e familiares, todos estavam preocupados principalmente nos primeiros dias com a minha adaptação. O que me ajudou muito foi sempre manter a tranquilidade e principalmente permanecer confiante de que tudo daria certo. Trouxe na bagagem comigo o que eu sabia que mais me ajudaria nesses momentos e usei toda a positividade e fé que eu tinha naquele momento.
O intercâmbio tem vários objetivos, a razão principal com certeza é o aprendizado de uma nova língua, mas por traz disso, você viverá importantes momentos de aprendizado, amadurecimento e autoconhecimento. Reflita se já não está na hora de pensar em fazer um intercâmbio e começar a escrever uma nova história para você. Pode ter certeza que até mesmo o intercâmbio de um mês você já verá diferença no aprendizado de uma nova língua e mudanças em você. Boas mudanças!

Assinado: Se abra às oportunidades.

5 desculpas comuns que falamos para não fechar o intercâmbio

By Comportamento, Destinos, Estudar no Exterior, Featured, Vida de Intercambista

Muitas vezes esperamos anos para realizar um sonho, e um deles pode ser o tal do intercâmbio, que ficamos procurando razões para não fechar e é por isso que a gente quer te ajudar a desmistificar as 5 desculpas mais comuns que damos para não fechar nosso intercâmbio (ou realizar um sonho).

Não tenho dinheiro

Definitivamente essa é a desculpa mais comum, muitas vezes porque não temos ideia de quanto custa para fazer um intercâmbio e na verdade não estamos falando de custo, mas sim de investimento. Já parou pra pensar que se estivesse pagando seu intercâmbio desde a primeira vez que pensou nele, você já poderia estar embarcando com tudo pago agora? Fazer uma viagem como essa, seja de 2 semanas ou 6 meses exige PLANEJAMENTO e quando você encontra promoções que valem a pena, nossa dica é: agarre a oportunidade e viva esse momento.

Não consigo ficar longe da família

Saudade é algo que dói, mas chega uma hora que devemos ser fortes, por nós e por eles. Afinal, sair da zona de conforto nos permite crescer e viver experiências completamente novas. E confie em mim, no meio de tanta novidade vai sobrar pouco tempo para sentir aquela saudade que aperta o peito e quando isso acontecer, use a tecnologia ao seu favor e converse com todos eles.

Sou muito velho pra isso (ou novo demais)

Aqui resumimos em poucas palavras: não existe idade para viver um sonho! Tire isso da sua cabeça imediatamente, escolha o destino que você acredita que mais vai lhe fazer feliz e permita-se.

E se não agora, quando? Se não você, quem?

Não falo inglês

Um erro muito comum é achar que é necessário saber inglês ou outra língua para se fazer um intercâmbio estudantil, mas pense comigo, qual o principal objetivo de um intercâmbio? Aprender ou aprimorar uma língua, certo?

Então não tenha medo de se arriscar, de conhecer o Mundo, novas culturas e pessoas incríveis. Se quiser se sentir mais confortável, aproveite para ir estudando até o dia do embarque, use videos do Youtube, assista filmes com audio e legenda inglês, cante músicas e divirta-se 🙂

Não senti confiança em nenhuma agência

Isso é natural! Afinal sabemos que o mercado, em qualquer setor, exige atenção e estamos falando de uma viagem internacional, você precisa ter em mente que a empresa que você escolher deve ser honesta, mas acima de tudo ter o seu perfil, você precisa falar com o seu consultor e se sentir em casa, tirar suas dúvidas e saber exatamente aonde esta investindo.

Nós da 4U Study Intercâmbio estamos aqui para isso, identificar suas necessidades e ajudar você a alcançar seus sonhos, com base na Irlanda e no Brasil, com uma equipe 100% feita de intercambistas ou ex-intercambistas e o tempo todo focados em fazer o melhor para você.

E aproveitando tudo isso, esse mês de Abril tem promoção especial 🙂 Deixem de lado todos essas desculpas e embarque nessa com a gente, sem medo de ser feliz.

Para entrar em contato agora com a 4U STUDY e receber um contato dos nossos especialista, CLIQUE AQUI.

Aproveite para nos seguir no Facebook e no Instagram <3

3 anos de intercâmbio

By Vida de Intercambista

3 anos.

Hoje, 25/04/2018, foi o dia em que há 3 anos eu entrei naquele avião com o coração leve. Eu não estava nervosa, nem triste, nem sorrindo tanto assim; fiz as malas no dia de embarcar. Ao sair de casa, me recordo o quanto chorei ao me despedir da minha avó, mas no caminho até o aeroporto com o meu tio e minha prima as lágrimas deram lugar à serenidade. A serenidade no olhar de quem mudaria a sua vida para sempre.

Lembro das palavras do meu tio que diziam, “você vai encontrar uma grande porta na Irlanda”, e eu jamais imaginava que esse ano sabático na realidade seriam 3 anos, quem sabe quantos mais estão por vir?

Se eu puder resumir esses 3 anos em um verbo, eu diria, encontrar. Encontro com uma nova cultura, língua, clima, pessoas. Encontro com novos desafios, imagens, cheiros e sabores. Encontro principalmente comigo mesma. Já diria Vinicius de Morais “a vida é a arte do encontro…”

 

A ficha enfim caiu.
A ficha do intercâmbio só caiu, quando cheguei na acomodação temporária, deitei naquela cama, olhei para o teto e pensei;É Amanda, começou. Para a minha felicidade, fiz uma amizade muito importante que esteve comigo quase todos os dias desse primeiro ano e graças a ela no dia seguinte consegui ir à escola, estudaríamos na mesma escola, dividiríamos a mesma casa, os mesmos choros e risos. Obrigada a minha para sempre girlfriend (apelido carinhoso gente, hahaha).

Pausa,
Na próxima carta voltamos a programação normal sobre o embarque, prometo!

E nesses 3 anos o que mais senti e sinto é o quanto estou fazendo a coisa certa. Sempre repetirei o quanto o intercâmbio foi um divisor de águas na minha vida e o quanto é uma Amanda antes e depois dessa experiência.

Quando você mora em outro país, você aprende a ser uma pessoa mais flexível, você dá mais valor a pequenas coisas, você aprende a conversar mais com você, você passa a ser o seu melhor amigo. Você vive momentos que você nunca viveria se não estivesse saído do lugar que estava. Sim, você deixará de viver coisas do lugar que veio, você se sentirá sozinho e meio perdido, mas acredite a sua experiência de vida será tão intensa que valerá perder momentos para ganhar outros.

Com o tempo você aprende a se perdoar por não estar no lugar de onde veio, cada escolha é uma renúncia, desde que a escolha valha à pena e sim está valendo muito. A cada dia que você aprende uma nova palavra em outra língua, cada expressão que passa a ser cotidiana, é uma vitória.

Quando você começa a receber mais sim do que não, quando começa a se sentir parte de algo novamente é aí que o intercâmbio faz sentindo. Quando você vê que os seus esforços estão sendo recompensados é uma das melhores sensações, você se sente vivo, independente, maduro e capaz de fazer o que quiser. Cada conquista é com muito suor e com gosto de quero mais e pode ter certeza que as conquistas virão na hora certa.

Ah você será uma pessoa mais grata também, o agradecimento passa a ser parte da rotina.
Lembro do dia em que ganhei o meu primeiro salário aqui na Irlanda. Foi junto com outra girlfriend lavando um chão de banheiro com uma buchinha de lavar louça, na hora veio um filme na minha cabeça e a grande pergunta, o que eu estou fazendo aqui?

Confesso que foi uma das piores sensações da minha vida, mas assim que eu peguei aquele dinheiro, eu entendi o que eu estava fazendo, eu estava crescendo, amadurecendo. Qualquer coisa que eu fizesse eu faria bem feito, que qualquer trabalho que eu tivesse seria um aprendizado, era exatamente o que eu vim buscar aqui, coisas novas, a saída da minha zona de conforto. Esse dia foi libertador, pré-conceitos que eu tinha começavam a sumir e principalmente passei a dar mais valor ao trabalho das pessoas.

Nos demais trabalhos que eu tive conheci pessoas maravilhosas que reconheceram o meu empenho e força de vontade. Isso me fez enxergar mais ainda o quanto qualquer coisa que você fizer com dedicação e carinho te abrirá grandes portas. Hoje tenho a oportunidade de escrever aqui para você e tudo isso foi construído com tudo que aprendi e continuo aprendendo. A grande porta que o meu tio me disse, está sendo somente o começo.

Agradeço a cada pessoa que cruzou o meu caminho nessa jornada. Obrigada aos amigos que ficarão para sempre, aos que vieram por pouco tempo, aos que me ensinaram preciosas lições. Aos amigos que me deram oportunidades. A você que aprendeu o verbo to be comigo, a você que mesmo do outro lado nunca desistiu e continua a confiar em mim. Aos que mesmo longe continuam em minha vida seja por um pensamento positivo ou por sangue. Obrigada aos que dividiram o seu tempo e palavras. Guardo vocês em minhas lembranças e em lugares especiais.

No intercâmbio você aprende a ter a mente mais aberta para que o realmente importa. Quer mudar a sua vida? Faça um intercâmbio.

Assinado: E que a vida me mostre a próxima aventura!

Leve a sério ou fique onde está

By Comportamento, Vida de IntercambistaNo Comments

Não raras vezes ouvimos pessoas criticando fortemente seu próprio intercâmbio, o país de escolha, a escola de línguas, não raras vezes ouvi das mesmas pessoas sobre “arrependimento” ou falta de aproveitamento durante o curso.

Com tantas conversas, consegui observar 3 pontos em comum na maioria delas e descobri que é assim que você começa a matar seus próprios sonhos.

1 – O intercambista já sai do Brasil desinformado sobre o país e a nova cultura, não se deu ao trabalho de se planejar e acompanhar de perto o que acontece na sua nova casa. É tanta empolgação, que muitos deixam passar pontos essenciais. 

2 – O despreparo financeiro é nítido e isso faz com que a maior parte aceite ser explorado ou experiências profissionais desgastantes, afetando seu rendimento escolar e motivação. 

3 – O terceiro ponto e não menos importante é a barreira cultural que essa pessoa normalmente impõe, ou seja, foge do dia-a-dia local por conta da língua e começa a viver, morar, sair, se relacionar, apenas com brasileiros. 

Essa combinação ou até mesmo um dos pontos isolados é um verdadeiro “afundador de intercâmbio”, com isso meu caro, você voltará para o Brasil com o inglês básico e com a mente talvez mais fechada de quando partiu.

Um intercâmbio precisa ser vivido em sua total extensão, saia do Brasil consciente das suas escolhas, leia jornais do país, estude sobre os hábitos da população, sobre as leis, as vantagens e desvantagens, o clima, corte um pouco as relações com o Brasil, com a família e amigos que deixou por lá, acredite, não tenho um coração de pedra, mas ligar o Skype todos os dias se lamentando, vai fazer você perder muita coisa. Entre em lojas, pergunte preços, especificações de produto, finja estar perdido na rua, converse no trem, no taxi, no bar, na farmácia, faça um blog, escreva, leia, viva o que muitos gostariam de viver.

Não se permita ser apenas mais um com fotos bonitinhas nas redes sociais, mas que no fundo, não sabe nem uma gíria local. Fazer tudo isso não irá garantir seu sucesso, mas com certeza te deixará anos luz à frente da maioria.

Leve seu intercâmbio a sério, ou use todo o investimento para outro fim. Essa pode ser a melhor (ou pior) experiência da sua vida, depende de você fazer acontecer.

Por que ser bilingue pode beneficiar sua carreira?

By Vida de IntercambistaNo Comments

Omercado de trabalho, em todos os setores e níveis, está cada vez mais competitivo e isso não é novidade para ninguém. Um dos motivos mais evidentes é a facilidade que temos para adquirir conhecimento com novas ferramentas, faculdades online, cursos de curta duração e isso tornou os empregadores cada mais exigentes na hora de selecionar o candidato ideal, porém uma dica: ser bilíngue ainda abre mais portas do que você imagina e não estamos falando apenas do aumento da sua capacidade de comunicação.

Comece o quanto antes

Quanto mais cedo começar a estudar uma nova língua, mais fácil vai ser sua absorção, mas não desanime se começar a achar que está tarde demais para você, o importante é começar. Organize sua vida e crie uma rotina de estudos que torne prazeroso esse momento.

A geografia não importa

Sabemos que a tecnologia encabeça o crescimento de economia global, o que transforma a ideia de se trabalhar remotamente uma realidade de muitas empresas que buscam talentos pelo mundo, mas neste caso ser bilíngue é o mínimo que você pode oferecer como “diferencial”. A lista de benefícios ao se trabalhar a distância é extensa, mas disciplina aqui é indispensável. Ter conhecimento em uma língua estrangeira aumenta o seu leque de oportunidades e poderá transformar o “home office” uma realidade na sua vida.

O poder por trás de ser bilingue

Segundo pesquisas, um cérebro bilingue produz mais massa cinzenta (diretamente ligado à inteligência), atrasa o envelhecimento, melhora sua memória e atenção, previne o Alzheimer, aumenta sua capacidade de decisão e ainda te dá uma visão mais ampla do mundo ao seu redor e compreensão de novas culturas. Grandes empresas sabem disso e quando buscam profissionais bilingues, estão também de olho em todos esses diferencias.

Multilinguismo

Se você busca um emprego no momento, você está certamente encontrando um grande volume de posições abertas que exigem o conhecimento de uma segunda ou até terceira língua. Como mencionado anteriormente, a era digital abriu muitas fronteiras internacionais que permitem a integração dos funcionários, independentemente da localização geográfica. Além disso, pare para pensar: quantas multinacionais existem na sua região?

Sua carreira merece atenção, abra sua mente e descubra novos caminhos. Se não está feliz na sua área, mudar a direção deve ser avaliado, planeje-se, estude, pesquise o que a empresa dos seus sonhos busca em seus profissionais, faça novas conexões, explore. Não ter tempo ou dinheiro para investir em conhecimento ou até em um intercâmbio, não é uma desculpa, pelo menos não para nós da 4U Study, que acreditamos que o seu sucesso depende apenas de você e do seu planejamento.

Venha falar com a gente para ter certeza sobre tudo isso 😉

Sobre ser intercambista

By Comportamento, Vida de IntercambistaNo Comments

Ser intercambista está muito mais ligado à descobertas do que estudos de uma nova língua ou cultura, ser intercambista esta diretamente ligado a mudanças internas que você encontrará vestígios pelo resto da sua vida (dramático, não?!).

O fato é que cada pessoa começa com o sonho de viajar pelo mundo com um objetivo diferente, uns querem apenas estudar, outros conhecer novos lugares, pessoas, culturas, outras querem apenas fugir das suas vidas… por fim, todos esses objetivos viram você de cabeça para baixo.

Depois de alguns anos em um intercâmbio olhamos pra trás e mal reconhecemos o que éramos no Brasil e ainda acreditamos que essa foi a melhor decisão que tomamos na minha vida, afinal nos transformamos pessoas mais responsáveis e de mente e coração aberto, somos mais alegres e decididos e muitas vezes, mais sérios e concentrados.

Sei que cada decisão, cada atitude vão interferir completamente no meu “amanhã” e por isso, ao mesmo tempo que sonho e aproveito, nunca fui tão planejada com os meus dias.

De todas as maneiras, tento transformar todos meus sonhos e pensamentos em realidade e acredite, a partir do momento que você deixa tudo que conhece, toda sua base familiar, seu emprego e amigos para trás você começa acreditar que nada é tão difícil quanto parece, em algum momento eu devo ter tomado uma dose incrível de coragem.

Ser intercambista também é se submeter aos olhares estranhos da população local, também é se enrolar na hora de pedir um almoço, é chorar no Skype, é ser cleaner, ser au pair, ser kitchen porter, é ser desbravador de pubs, é contar dinheiro e planejar trips pelo Mundo todo. É encontrar tantas culturas e se perder no meio delas também, é começar a pensar que talvez aqui seja o melhor lugar pra se viver (sim, isso acontece comigo) e não se sinta culpado ou egoísta, por achar que o Brasil não é mais sua casa, afinal, quando se ganha o Mundo é difícil criar raízes, mas é ai que esta magia.

serintercambista65161.jpg

Sim, eu tenho coisas ruins para contar, claro que tenho, mas perto das coisas boas que acontecem durante essa viagem de descobertas, tudo que é ruim fica pequeno. Você vai começar como intercambista e de repente vai virar cidadão do Mundo.

E não tenha medo de sonhar, de se perder e se achar, encontre a magia, pule, dance e celebre cada dia como se fosse o último, poucos tem a coragem de carregar esse “título”, então porquê não dar o seu melhor para ser diferente, para entender definitivamente que, aprender uma nova língua é só a ponta do iceberg de um intercâmbio!

Seja intercambista, seja de corpo, alma e coração, seja por inteiro o que muitos nunca serão. Seja luz e faça a diferença por onde passar.