Tag

cartas de uma intercambista Archives - 4U Intercâmbio

Finalmente uma intercambista

By Featured, Vida de Intercambista

Começou o intercâmbio, minha rotina mudou bastante e se resumia em: ir para a escola com a Aline, procurar a acomodação definitiva de preferência com a Aline também, ir no mercado comprar comida, continuar procurando a acomodação definitiva, procurar uma casa, procurar um teto, procurar uma cama. É gente, o primeiro desafio do intercâmbio é achar o lugar que você viverá, por enquanto nada de cerveja, nem baladinha, nem umas paqueras para praticar a língua e começar a imersão cultural (atendendo a pedidos vou escrever sobre isso. Alerta! Não esperem encontrar aqui na Irlanda um Christian Grey, quem assim como eu pensou que iria encontrar um como ele não tem, já rodei tudo isso aqui haha) o foco era encontrar o meu novo lar, assim como todas as pessoas que chegam aqui.

Achamos acomodação, hora de beber!!!

A espera foi de apenas 3 dias para encontrar a acomodação definitiva, um apartamento com um quarto para dividir entre 4 pessoas com duas 2 beliches, sala ampla, cozinha pequena e um banheiro. Consegui encontrar uma vaga com a Aline e esse dia foi uma grande alegria, já dava para começar a pensar na cerveja Guinness que eu ainda não tinha tomado.

O que foi determinante para encontrarmos rápido a acomodação, foi que estávamos em vários grupos no Facebook recebendo alertas no celular, nos sites de acomodação, fazendo contatos e novas amizades aqui em Dublin, com a mente aberta de que não teríamos o mesmo conforto que tínhamos em nossas casas e claro, simpatia e sorriso no rosto sempre. A época do ano que viemos também foi ótima, pois não era alta temporada. Enquanto não achávamos acomodação continuamos procurando, a nossa determinação foi fundamental para conseguirmos encontrar o nosso lugarzinho. Por isso, a dica aqui é, venha com o mesmo pensamento e foco. Costumo sempre dizer que não conheço ninguém que não tenha encontrado casa e trabalho no intercâmbio que realmente procurou e se empenhou em encontrar. E nesse mesmo apartamento na conhecida Dublin 8 conhecemos a Andressa, uma querida que o destino nos trouxe para dividir o apartamento e intercâmbio com a gente. Eu a Andressa também temos boas histórias, aguardem.

Sobre a escola e as aulas

Quero dividir com vocês essa foto dos meus primeiros colegas de sala, chamamos aqui de “classmates” e, o meu primeiro professor. Como estudei em muitas turmas em diferentes níveis de inglês, em 3 escolas diferentes, tive vários colegas de salas e alguns deles ainda mantemos contato, mas essa turma foi muito especial para mim e tenho certeza que para eles também. (Éramos 13 brasileiros e 1 mexicano e esse mexicano era uma das nossas alegrias, infelizmente não esta mais entre nós, onde você estiver Edisinho esse lugar terá muita alegria e risadas). Mesmo sendo 13 brasileiros na mesma sala de aula, o pessoal era muito focado, todos ali queriam mesmo aprender a língua, se esforçavam, se empenhavam e todos de sua maneira conseguiram. Gostaria de dizer o quanto sou grata pela ajuda de cada um de vocês, espero que todos estejam bem e felizes. Essa foi a turma mais especial que estudei, a cada dia, cada nova frase, palavras em inglês era uma vitória para nós. Vocês foram uma das melhores partes do meu intercâmbio e sinto saudades.

E o que a oficialmente intercambista estava sentindo?

Eu estava me sentindo aliviada por ter encontrado uma casa, por ter iniciado uma rotina mais calma, por ter feito novas amizades. Todas as partes mais burocráticas que envolviam abrir conta bancária, documentação com a imigração também estavam sendo encaminhadas e claro, eu estava me sentindo muito feliz pelas escolhas que eu tinha feito, como por exemplo a escola que era muito boa, ter vindo para Dublin que é uma cidade muito legal com um céu azul maravilhoso na primavera que até hoje me inspira. Eu só tinha boas notícias para compartilhar com meu amigos e familiares, todos estavam preocupados principalmente nos primeiros dias com a minha adaptação. O que me ajudou muito foi sempre manter a tranquilidade e principalmente permanecer confiante de que tudo daria certo. Trouxe na bagagem comigo o que eu sabia que mais me ajudaria nesses momentos e usei toda a positividade e fé que eu tinha naquele momento.
O intercâmbio tem vários objetivos, a razão principal com certeza é o aprendizado de uma nova língua, mas por traz disso, você viverá importantes momentos de aprendizado, amadurecimento e autoconhecimento. Reflita se já não está na hora de pensar em fazer um intercâmbio e começar a escrever uma nova história para você. Pode ter certeza que até mesmo o intercâmbio de um mês você já verá diferença no aprendizado de uma nova língua e mudanças em você. Boas mudanças!

Assinado: Se abra às oportunidades.

3 anos de intercâmbio

By Vida de Intercambista

3 anos.

Hoje, 25/04/2018, foi o dia em que há 3 anos eu entrei naquele avião com o coração leve. Eu não estava nervosa, nem triste, nem sorrindo tanto assim; fiz as malas no dia de embarcar. Ao sair de casa, me recordo o quanto chorei ao me despedir da minha avó, mas no caminho até o aeroporto com o meu tio e minha prima as lágrimas deram lugar à serenidade. A serenidade no olhar de quem mudaria a sua vida para sempre.

Lembro das palavras do meu tio que diziam, “você vai encontrar uma grande porta na Irlanda”, e eu jamais imaginava que esse ano sabático na realidade seriam 3 anos, quem sabe quantos mais estão por vir?

Se eu puder resumir esses 3 anos em um verbo, eu diria, encontrar. Encontro com uma nova cultura, língua, clima, pessoas. Encontro com novos desafios, imagens, cheiros e sabores. Encontro principalmente comigo mesma. Já diria Vinicius de Morais “a vida é a arte do encontro…”

 

A ficha enfim caiu.
A ficha do intercâmbio só caiu, quando cheguei na acomodação temporária, deitei naquela cama, olhei para o teto e pensei;É Amanda, começou. Para a minha felicidade, fiz uma amizade muito importante que esteve comigo quase todos os dias desse primeiro ano e graças a ela no dia seguinte consegui ir à escola, estudaríamos na mesma escola, dividiríamos a mesma casa, os mesmos choros e risos. Obrigada a minha para sempre girlfriend (apelido carinhoso gente, hahaha).

Pausa,
Na próxima carta voltamos a programação normal sobre o embarque, prometo!

E nesses 3 anos o que mais senti e sinto é o quanto estou fazendo a coisa certa. Sempre repetirei o quanto o intercâmbio foi um divisor de águas na minha vida e o quanto é uma Amanda antes e depois dessa experiência.

Quando você mora em outro país, você aprende a ser uma pessoa mais flexível, você dá mais valor a pequenas coisas, você aprende a conversar mais com você, você passa a ser o seu melhor amigo. Você vive momentos que você nunca viveria se não estivesse saído do lugar que estava. Sim, você deixará de viver coisas do lugar que veio, você se sentirá sozinho e meio perdido, mas acredite a sua experiência de vida será tão intensa que valerá perder momentos para ganhar outros.

Com o tempo você aprende a se perdoar por não estar no lugar de onde veio, cada escolha é uma renúncia, desde que a escolha valha à pena e sim está valendo muito. A cada dia que você aprende uma nova palavra em outra língua, cada expressão que passa a ser cotidiana, é uma vitória.

Quando você começa a receber mais sim do que não, quando começa a se sentir parte de algo novamente é aí que o intercâmbio faz sentindo. Quando você vê que os seus esforços estão sendo recompensados é uma das melhores sensações, você se sente vivo, independente, maduro e capaz de fazer o que quiser. Cada conquista é com muito suor e com gosto de quero mais e pode ter certeza que as conquistas virão na hora certa.

Ah você será uma pessoa mais grata também, o agradecimento passa a ser parte da rotina.
Lembro do dia em que ganhei o meu primeiro salário aqui na Irlanda. Foi junto com outra girlfriend lavando um chão de banheiro com uma buchinha de lavar louça, na hora veio um filme na minha cabeça e a grande pergunta, o que eu estou fazendo aqui?

Confesso que foi uma das piores sensações da minha vida, mas assim que eu peguei aquele dinheiro, eu entendi o que eu estava fazendo, eu estava crescendo, amadurecendo. Qualquer coisa que eu fizesse eu faria bem feito, que qualquer trabalho que eu tivesse seria um aprendizado, era exatamente o que eu vim buscar aqui, coisas novas, a saída da minha zona de conforto. Esse dia foi libertador, pré-conceitos que eu tinha começavam a sumir e principalmente passei a dar mais valor ao trabalho das pessoas.

Nos demais trabalhos que eu tive conheci pessoas maravilhosas que reconheceram o meu empenho e força de vontade. Isso me fez enxergar mais ainda o quanto qualquer coisa que você fizer com dedicação e carinho te abrirá grandes portas. Hoje tenho a oportunidade de escrever aqui para você e tudo isso foi construído com tudo que aprendi e continuo aprendendo. A grande porta que o meu tio me disse, está sendo somente o começo.

Agradeço a cada pessoa que cruzou o meu caminho nessa jornada. Obrigada aos amigos que ficarão para sempre, aos que vieram por pouco tempo, aos que me ensinaram preciosas lições. Aos amigos que me deram oportunidades. A você que aprendeu o verbo to be comigo, a você que mesmo do outro lado nunca desistiu e continua a confiar em mim. Aos que mesmo longe continuam em minha vida seja por um pensamento positivo ou por sangue. Obrigada aos que dividiram o seu tempo e palavras. Guardo vocês em minhas lembranças e em lugares especiais.

No intercâmbio você aprende a ter a mente mais aberta para que o realmente importa. Quer mudar a sua vida? Faça um intercâmbio.

Assinado: E que a vida me mostre a próxima aventura!